quinta-feira, 25 de maio de 2017

Estado de SP amplia esforço para tirar o 'Trem Metropolitano' do papel


Na semana passada, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) esteve em Nova York para 'vender' a investidores pacote de projetos de PPPs, dentre eles o trem que vai interligar o Vale do Paraíba a outras regiões de São Paulo.

O governo Geraldo Alckmin (PSDB) ampliou os esforços para tentar destravar o Trem Expresso Metropolitano, projeto ferroviário que vai interligar as regiões metropolitanas de Campinas, São Paulo, Vale do Paraíba, Sorocaba e Baixada Santista.

Na semana passada, Alckmin esteve em Nova York para 'vender' a possíveis investidores um pacote de projetos de concessões e PPPs (Parcerias Público-Privadas).

O trem constava na lista destinada a grupos empresariais com fôlego financeiro.

Na Assembleia Legislativa, na sexta-feira, o empresário Guilherme Quintella, da União Internacional de Ferrovias, apresentou aos deputados o estudo de viabilidade do projeto, concluído recentemente pela instituição.

O esforço do Estado segue na próxima semana, quando o secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, vai a Campinas tratar do tema.

Atrasado quatro anos, o trem será viabilizado por meio de uma PPP (Parceria Público-Privada), com custo estimado em R$ 18,5 bilhões, sendo R$ 4 bilhões em recursos públicos. A duração do contrato de concessão será de 30 anos.

"Os estudos indicam a oportunidade da construção e da implantação de dois sistemas ferroviários. Um norte-sul, saindo da cidade de Americana, passando por Campinas, Jundiaí, São Paulo, ABC, Cubatão e Santos. E uma linha oeste-leste, saindo de Sorocaba, São Roque, Barueri, São Paulo e indo em direção a Guarulhos, São José dos Campos e Taubaté", explicou Quintella aos deputados.

"A tarifa para passageiros ficará um pouquinho acima do preço dos ônibus intermunicipais, talvez 10% a mais", completou o empresário.

CONVÊNIO.

A tentativa de retomar o projeto só foi possível porque, no fim de março, o governo federal assinou acordo para o compartilhamento da malha ferroviária nos trechos entre São Paulo, Campinas e Americana, onde acontecerá a primeira etapa do projeto de mobilidade urbana.

A RMVale será a última região a ser atendida pelo Trem Expresso Metropolitano..

O Vale – 23/05/2017

Comentário do SINFERP

A mesma e velha história de sempre. É só ter eleição por perto e surge a novela do trem regional,  Não consegue implantar trem nem até Guarulhos.

2 comentários:

Anônimo disse...

o governo está desesperado para vender toda nossa ferrovia. já saiu a lista das 5 concorrentes que irão levar de bandeija as linhas 8 e 9, dentre elas a famosa CCR, oderbrecht. CA e outras 2 que nem devem saber o que é um trem. o sistema de tranpsorte está lascado com esse desgoverno, e pior, o erario publico vai cada vez para financiar esses grupos empresariais que mandam no governo estadual.

SINFERP disse...

Esse é o grande projeto dos tucanos: privatizar o que puder e até o que não puder.