quarta-feira, 20 de junho de 2012

BNDES concede empréstimo de R$ 1,4 bi para linhas da CPTM


O governador Geraldo Alckmin (PSDB) assinou nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, o contrato de financiamento de R$ 1,472 bilhão com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para o prolongamento da Linha 2-Verde e modernização das estações da Linha 8-Diamante da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Do total do financiamento, serão destinados R$ 922 milhões ao prolongamento da Linha 2 - Verde do Metrô, que será no sistema de monotrilho no trecho entre vila Prudente e Hospital Cidade Tiradentes. Com 24,5 km de vias elevadas, o monotrilho terá 17 estações e 54 trens serão comprados para toda a linha, atendendo 890 mil passageiros por dia. A extensão total do empreendimento está orçada em R$ 4,9 bilhões (incluindo as obras civis, equipamento elétrico e trens).

O primeiro trecho do prolongamento da Linha 2-Verde do Metrô, Vila Prudente-Oratório, com extensão de 2,9 km, encontra-se em implantação e é composto por duas estações: Vila Prudente e Oratório, com inauguração prevista para 2013.

Posteriormente, a linha seguirá de Oratório a São Mateus, com extensão de 10,1 km e oito estações: São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstoi, Vila União, Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus. Este segundo trecho, até São Mateus, deverá iniciar funcionamento em 2014. O trecho final, São Mateus - Hospital Cidade Tiradentes, terá sete estações e 11,4 km de extensão.

A implantação do monotrilho, privilegiando o canteiro central de avenidas, a uma altura entre 12 e 15 m, minimiza a necessidade de desapropriações. A extensão da Linha 2-Verde avançará ao longo das avenidas Luiz Inácio de Anhaia Mello, Sapopemba, Metalúrgicos e Estrada do Iguatemi.

Com velocidade semelhante ao metrô convencional (máxima de 80 km/h, e média operacional de 36 km/h), o monotrilho também é movido à energia elétrica, não poluente, e com reduzido ruído operacional também por rodar sobre pneus.

"As estações da CPTM serão praticamente reconstruídas, com acessibilidade, modernidade, conforto e segurança", disse Alckmin. O governo do Estado usará R$ 550 milhões do empréstimo firmado com o BNDES na modernização das estações da Linha 8-Diamante, da CPTM, que faz a ligação entre a estação Júlio Prestes e Itapevi, passando ainda por Osasco, Carapicuíba, Barueri e Jandira em 41 km de extensão. Hoje, a linha atende 440 mil passageiros por dia útil. Além dos recursos provenientes do BNDES, o governo estadual investirá mais R$ 94,3 milhões nas estações da Linha 8-Diamante.

Terra – 20/06/2012

Ah, vão reconstruir as estações da linha 8. Bom. Quem, porém, irá realizar os projetos? Os mesmos que fazem os caixotões de costume?

5 comentários:

Danilo da Costa Leite disse...

O bizarro é que todo o propósito dos caras é (1) expandir o metrô - o que é ótimo - e (2) renovar a CPTM - o que também é bom. Mas e quanto expandir a CPTM? O governo do Estado funciona como uma super-prefeitura, sem metas de mobilidade para o Estado inteiro... Obrigado pelos ótimos posts sobre Minas e o Rio. Abraço, Danilo

SINFERP disse...

Oi Danilo,

"Dizem" ter planos de expansão. Têm até mapas, mas quando se pergunta se são para valer, a resposta é sempre evasiva - "não, estão ainda em estudos". Em resumo, não têm nada.

Wellington Diego disse...

Espero que não façam o mesmo que fizeram em Calmom Viana.Tenho certeza que o projeto dessa estação seria reprovado por qualquer urbanista que tenha vínculo com a CPTM.Contínuo sem entender como os "gestores" públicos brasileiros desvalorizam o transporte sobre trilhos.Será que é porque,no caso da CPTM,ele corta áreas menos "privilegiadas".?

Wellington Diego disse...

Ops,no comentário anterior onde se lê tenha vículo,leia-se não tenha vínculo.

SINFERP disse...

No caso das arquiteturas, Wellington, é mera incompetência. Falta o mínimo de racionalidade, mas principalmente de sensibilidade. Mesmo assim, essas obras medíocres custam uma fortuna, acredite.