segunda-feira, 11 de abril de 2011

A propaganda da concessionária que irá explorar a linha 4 do Metrô de São Paulo

Com capacidade para transportar cerca de 2.000 passageiros por viagem, os trens da Linha 4 – Amarela do metrô são os mais modernos e seguros em termos de transporte metroviário. Construídos na Coreia, terão passagem livre entre os carros e os usuários poderão falar ao celular e acessar a internet via rede sem fio.
A Linha 4 será a primeira na América Latina a entrar em funcionamento com divisórias de vidro separando a plataforma dos trilhos. As portas de plataforma se abrirão juntamente com as do trem, no ponto exato da entrada e saída dos usuários, oferecendo maior segurança e conforto aos passageiros.
Mas a maior novidade tecnológica é o sistema “driverless”, que permite a operação sem a presença do condutor dentro do trem. Também inédita na América Latina, essa tecnologia é a mais segura disponível na atualidade, pois as velocidades são sempre mantidas dentro dos limites e reguladas de acordo com a necessidade. Todas as funções são comandadas diretamente do Centro de Controle Operacional (CCO).
Na Linha 4, o intervalo entre os trens poderá chegar a 75 segundos.
Concessionária responsável pela manutenção e administração da Linha 4 – Amarela do metrô de São Paulo, a ViaQuatro é o primeiro contrato de Parceria Público Privada do País. O projeto, executado em parceria com o governo paulista, prevê a concessão e a manutenção dessa linha do metrô por 30 anos.
A empresa integra o Grupo CCR, um dos maiores grupos de concessões de rodovias do Brasil, formado por sete concessionárias do setor: CCR Ponte (RJ), CCR NovaDutra (SP e RJ), CCR ViaLagos (RJ), CCR RodoNorte (PR), CCR AutoBan (SP), CCR ViaOeste (SP) e CCR RodoAnel (SP). A CCR detém ainda participação de 40% na concessionária Renovias, 45% na Controlar, empresa responsável pela inspeção veicular ambiental na cidade de São Paulo, e 38,25% no Grupo STP, que opera meios eletrônicos de pagamento.
Além do Grupo CCR, que detém 58% de suas ações, a ViaQuatro tem como acionistas Montgomery Participações, Mitsui & Co., RATP Développement e Benito Roggio Transporte.
Os investimentos iniciais da ViaQuatro na aquisição de trens, equipamentos e sistemas somam US$ 500 milhões. Durante os 30 anos do contrato de concessão, os custos de operação e manutenção vão totalizar US$ 1,5 bilhão aproximadamente. Assim, até o final da concessão, a ViaQuatro terá investido mais de US$ 2 bilhões na Linha 4 Amarela.
Além disso, quando entrar em operação, a Linha 4 – Amarela do metrô vai gerar mais de 2 mil oportunidades de trabalho. Desse total, cerca de 600 profissionais serão contratados diretamente pela concessionária ViaQuatro.
Comentários do sindicato
Se essa história vier para as linhas da CPTM, a concessionária vai encontrar uma situação inusitada: um sindicato de ferroviários dedicado também aos interesses dos usuários. Não teremos como impedir mais essa eventual ação “entregabras” do governador tucano, mas não deixaremos que a concessionária faça (e fará) aqui o que sua congênere faz no Rio de Janeiro. Não aceitaremos na CPTM nada menos do que promete para o metrô – até mesmo porque o valor da tarifa é o mesmo. O tempo de tratar usuário de trens metropolitanos como cidadão de segunda classe está com dias contados.

Nenhum comentário: