sábado, 9 de abril de 2011

Prefeito de Porto Alegre e governador do Rio Grande do Sul discutem metrô da capital

Tarso Genro e José Fortunati

O governador Tarso Genro (PT) e o prefeito José Fortunati (PDT) se reuniram oficialmente ontem (31/03/2011) pela primeira vez. No encontro no Piratini, o prefeito recebeu a minuta do protocolo de intenções que resultará, ainda na primeira quinzena de abril, na criação de grupo de trabalho para encaminhar ações conjuntas. Entre essas propostas estão o metrô da Capital, a Copa do Mundo de 2014, o Cais Mauá, mobilidade urbana, saúde e segurança pública.
Caberá ao grupo definir e executar as ações necessárias para viabilidade e finalização do projeto do metrô, que disputa recursos ainda disponíveis na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Em 12 de junho, os ministérios das Cidades e do Planejamento anunciarão os contemplados.
O Estado garantiu isenção de ICMS sobre os trens e material necessário para a obra. A medida resultará em economia de R$ 250 milhões no custo do projeto, estimado em R$ 2,4 bilhões. 
O prefeito acredita que as empresas que disputarão a concorrência pública internacional para execução do empreendimento sejam as mesmas que costumeiramente operam no setor. "Certamente serão estrangeiras, mas há garantia de que insumos e mão de obra sejam gaúchos."
O projeto do metrô de Porto Alegre foi protocolado dia 28 de março. Em ofício enviado ao prefeito, o governo do Estado solicitou que sejam priorizadas a definição de rota, a integração da região Metropolitana e a preferência por materiais produzidos por empresas gaúchas. O traçado da fase 1 do metrô vai da avenida Borges de Medeiros à Assis Brasil. O trajeto será subterrâneo (1) e passará sob os corredores de ônibus da Farrapos e da Assis Brasil até o Terminal Triângulo e depois seguirá, a partir de uma elevada, até a sede da Fiergs. 
Correio do Povo – 01/04/2011

(1)               Metrô é sempre subterrâneo. É um subway, um underground.

É claro que insumos e mão-de-obra são nacionais, embora insumos não necessariamente gaúchos.

Nenhum comentário: