terça-feira, 12 de abril de 2011

O conceito de rede em sistemas metropolitanos

Os sistemas de metropolitano estão normalmente organizados em rede, isto é, as várias linhas estão desenhadas de forma que o tráfego de passageiros seja feito da melhor e mais rápida maneira possível. Nessa medida é necessário providenciar várias ligações entre as linhas do sistema.

Ao longo da história, o planejamento das redes foi feito de várias formas. Algumas das razões para a tão vasta gama de redes existente são, em primeiro lugar, as necessidades que a rede tem atender, em segundo lugar, a fisiografia (geografia física) do terreno e, por último, as possibilidades econômicas do projeto.

Qual é o desenho da rede futura do sistema metropolitano de São Paulo? Ninguém sabe nem mesmo se existe algum. Nosso sistema metropolitano vai sendo formado na base do “puxadinho”, ao exemplo de tudo neste país.

Veja alguns modelos de redes nas figuras acima: 1) em anel com linhas radiais, empregado em Moscou e Viena; 2) em linhas secantes, empregado em Kiev e São Paulo, e 3) em malha ortogonal, empregado em Londres, Berlim e Paris. Existem outros. O problema, portanto, não é apenas aumentar o número de linhas, mas definir previamente o modelo de rede que melhor atende as necessidades de São Paulo.

É ao modelo em anel com linhas radiais que nosso sindicato tem dado o nome de anel ferroviário urbano. 

Nenhum comentário: