sábado, 30 de abril de 2011

Associações de moradores de bairros do Rio de Janeiro querem alterar traçado do metrô

Um movimento formado por associações de moradores dos bairros do Rio entregou uma carta aberta nas mãos do presidente da Comissão de Coordenação dos Jogos Olímpicos de 2016, Nawal El Moutawakel, sobre mudanças no traçado da Linha 4 do metrô. No documento, é proposto a alteração a ser traçado até a Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A carta também será encaminhada ao Governador do Rio, Sérgio Cabral.
O grupo afirma que as decisões para o traçado da linha 4 foram decididas sem consultar a população e ignorando projetos aprovados anteriormente, o que irá comprometer a mobilidade de milhares de pessoas. A carta diz que as recomendações do Comitê Olímpico quanto aos deslocamentos para os locais de competição, não levam em conta o legado Olímpico, que são os benefícios que ficam para a população depois que os jogos terminam.
"Centenas de milhares de pessoas deixarão de atendidas. São multidões, que não só terão extremamente dificultado seu acesso às provas como continuarão, depois dela, submetidas a um caótico sistema de transporte público, sem outra perspectiva de melhora tão estimulante quanto a que foi oferecida no momento da escolha do Rio de Janeiro para os Jogos de 2016", diz um trecho da carta.
"Governo está surdo para mudança"
A Vereadora Andreia Gouvêia Vieira, que representou as dezoito associações de moradores na entrega da carta, disse ao SRZD que o governo do estado toma decisões que mais tarde serão modificadas pelo próprio governo. Ela disse que a opção é a pior possível e como solução seria a construção através do traçado original.
"A consequencia virá para toda a cidade toda. A estação da Gávea não estará pronta. Ela é estratégica. Agora decidiram que não terá essa estação, agora vai do Leblon pra São Conrado. O governo está surdo para a mudança, e a opção é a pior possível. Queremos como solução o traçado original", afirma.
Para o presidente da Associação de Moradores do Jardim Botânico, Alfredo Piragibe, o governo se limita a fazer o mínimo para atender ás exigências do COI. Piragibe afirma que se essas mudanças não forem feitas agora, em época de construções dos equipamentos para os Jogos Olímpicos, não serão feitas depois.
"O metrô é uma linha só. Em outros países são várias linhas interligadas. E aqui eles insistem em fazer uma lina única. É melhor decretar feriado a construir uma linha que não vai atender as necessidades da população", disse.
Linha estará pronta até 2015
O secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, afirmou nesta quinta-feira que a linha 4 do metrô será inaugurada com uma estação a menos do que o previsto no projeto original. A estação da Gávea só deve ser entregue após o prazo. A comitiva do Comitê Olímpico Internacional (COI), que visitou as obras do metrô da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, estava preocupada com os alagamentos na região próxima ao Maracanã.

Segundo o secretário, foi conversado com os integrantes do Comitê sobre a Praça da Bandeira, e Lopes teria dito que o governador do Rio, Sérgio Cabral, garantiu que essas obras serão solicitadas ao Governo Federal e que os recursos para a obra já foram solicitados. Já foram escavados 430 metros da galeria principal. A previsão para a conclusão da linha 4 é em dezembro de 2015, cerca de seis meses antes dos Jogos Rio-2016.

A Secretária Estadual de Transporte disse por meio de nota que a Linha 4, incluindo a estação Gávea, estará pronta até dezembro de 2015, cumprindo assim o contrato de concessão de obra firmado em fevereiro de 2010. Segundo o comunicado, as estações não serão concluídas simultaneamente, e a da Gávea será a última a ser inaugurada. O cronograma prevê a seguinte seqüência: Jardim Oceânico; São Conrado; Nossa Senhora da Paz; Jardim de Alah; Antero de Quental; expansão da estação General Osório e Gávea. A meta é colocá-las em funcionamento simultaneamente em 15 de dezembro de 2015, para início de testes.
"A necessidade de ser a estação Gávea a última a ser concluída, com maior tempo de construção, deve-se ao fato de sua complexidade construtiva, em parte justificada pelo solo heterogêneo que as sondagens apontaram existir, e também pela profundidade com que deverá ser implantada, com vistas a assegurar a continuidade da Linha 4 em direção ao centro da cidade, no futuro", disse a Secretaria.
SRZD - Hélio Almeida - 29/04/2011

Nenhum comentário: