sábado, 30 de abril de 2011

A criatividade e o bom gosto dos parisienses

Enquanto fazemos de nossas estações metro-ferroviárias meras plataformas de embarque e desembarque de "passageiros" (dos que estão de "passagem"), os parisienses nelas promovem mostras de sofisticação e requinte que bem caracterizam os franceses. Na foto abaixo, uma loja de móveis faz exposição de algumas peças em uma estação do metrô de Paris. Estavam a disposição de quem desejasse inclusive sentar para esperar pela próxima composição.


Trem metropolitano de Terezina (PI) descarrila outra vez, e no mesmo lugar

O vereador Edson Melo (PSDB) teve requerimento aprovado, nesta terça-feira (26), na Câmara Municipal de Teresina, em que se dirige ao Ministério Público Estadual para solicitar a intervenção por completo do metrô da capital.

“A linha é muito velha. Tem mais de 50 anos. Queremos uma revisão completa em toda a linha por onde passa o metrô. Devem ser revistos também as dormentes e toda a estrutura de ferro”, defende o parlamentar.

O vereador tucano sugere a criação de uma comissão formada por técnicos e engenheiros do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) para que se realizem as vistorias. Pela segunda vez no mês, e em menos de 10 dias, o metrô descarrilou em cima da ponte sobre o rio Poty, provocando pânico entre os passageiros que estavam no veículo.

“Não basta a correção em um único ponto. Queremos uma revisão completa. As linhas são muito velhas. Agora estamos aguardando o posicionamento do Ministério Público. Queremos a substituição dos trilos”, disse Edson Melo.

OAB também se posiciona

A Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Piauí também entrou com representação no Ministério Público solicitando a suspensão das atividades do metrô de Teresina por tempo indeterminado.

Para a instituição, é necessária que uma equipe técnica emita laudo detalhado de que todas as reparações necessárias foram feitas. 

CMTP

O diretor administrativo da Companhia Metropolitana de Transporte Público (CMTP), Antônio Sobral, informou que as linhas do metrô seguem suspensas até às 6h da próxima quinta-feira (28/04). A decisão foi tomada para que se prolongue a fase de teste e que se garanta que incidentes de descarrilamento não voltem a acontecer.

Cidadeverde.com - 26/04/11

Que no mínimo a via permanente está deteriorada, nunca tivemos dúvida.

Associações de moradores de bairros do Rio de Janeiro querem alterar traçado do metrô

Um movimento formado por associações de moradores dos bairros do Rio entregou uma carta aberta nas mãos do presidente da Comissão de Coordenação dos Jogos Olímpicos de 2016, Nawal El Moutawakel, sobre mudanças no traçado da Linha 4 do metrô. No documento, é proposto a alteração a ser traçado até a Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. A carta também será encaminhada ao Governador do Rio, Sérgio Cabral.
O grupo afirma que as decisões para o traçado da linha 4 foram decididas sem consultar a população e ignorando projetos aprovados anteriormente, o que irá comprometer a mobilidade de milhares de pessoas. A carta diz que as recomendações do Comitê Olímpico quanto aos deslocamentos para os locais de competição, não levam em conta o legado Olímpico, que são os benefícios que ficam para a população depois que os jogos terminam.
"Centenas de milhares de pessoas deixarão de atendidas. São multidões, que não só terão extremamente dificultado seu acesso às provas como continuarão, depois dela, submetidas a um caótico sistema de transporte público, sem outra perspectiva de melhora tão estimulante quanto a que foi oferecida no momento da escolha do Rio de Janeiro para os Jogos de 2016", diz um trecho da carta.
"Governo está surdo para mudança"
A Vereadora Andreia Gouvêia Vieira, que representou as dezoito associações de moradores na entrega da carta, disse ao SRZD que o governo do estado toma decisões que mais tarde serão modificadas pelo próprio governo. Ela disse que a opção é a pior possível e como solução seria a construção através do traçado original.
"A consequencia virá para toda a cidade toda. A estação da Gávea não estará pronta. Ela é estratégica. Agora decidiram que não terá essa estação, agora vai do Leblon pra São Conrado. O governo está surdo para a mudança, e a opção é a pior possível. Queremos como solução o traçado original", afirma.
Para o presidente da Associação de Moradores do Jardim Botânico, Alfredo Piragibe, o governo se limita a fazer o mínimo para atender ás exigências do COI. Piragibe afirma que se essas mudanças não forem feitas agora, em época de construções dos equipamentos para os Jogos Olímpicos, não serão feitas depois.
"O metrô é uma linha só. Em outros países são várias linhas interligadas. E aqui eles insistem em fazer uma lina única. É melhor decretar feriado a construir uma linha que não vai atender as necessidades da população", disse.
Linha estará pronta até 2015
O secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes, afirmou nesta quinta-feira que a linha 4 do metrô será inaugurada com uma estação a menos do que o previsto no projeto original. A estação da Gávea só deve ser entregue após o prazo. A comitiva do Comitê Olímpico Internacional (COI), que visitou as obras do metrô da Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, estava preocupada com os alagamentos na região próxima ao Maracanã.

Segundo o secretário, foi conversado com os integrantes do Comitê sobre a Praça da Bandeira, e Lopes teria dito que o governador do Rio, Sérgio Cabral, garantiu que essas obras serão solicitadas ao Governo Federal e que os recursos para a obra já foram solicitados. Já foram escavados 430 metros da galeria principal. A previsão para a conclusão da linha 4 é em dezembro de 2015, cerca de seis meses antes dos Jogos Rio-2016.

A Secretária Estadual de Transporte disse por meio de nota que a Linha 4, incluindo a estação Gávea, estará pronta até dezembro de 2015, cumprindo assim o contrato de concessão de obra firmado em fevereiro de 2010. Segundo o comunicado, as estações não serão concluídas simultaneamente, e a da Gávea será a última a ser inaugurada. O cronograma prevê a seguinte seqüência: Jardim Oceânico; São Conrado; Nossa Senhora da Paz; Jardim de Alah; Antero de Quental; expansão da estação General Osório e Gávea. A meta é colocá-las em funcionamento simultaneamente em 15 de dezembro de 2015, para início de testes.
"A necessidade de ser a estação Gávea a última a ser concluída, com maior tempo de construção, deve-se ao fato de sua complexidade construtiva, em parte justificada pelo solo heterogêneo que as sondagens apontaram existir, e também pela profundidade com que deverá ser implantada, com vistas a assegurar a continuidade da Linha 4 em direção ao centro da cidade, no futuro", disse a Secretaria.
SRZD - Hélio Almeida - 29/04/2011

A caótica situação da Estrada M´Boi Mirim (São Paulo - SP)

Valorizar o transporte público é uma das boas soluções para tirar carros das ruas e combater a poluição. Mas na Estrada do M'Boi Mirim, na Zona Sul de São Paulo, o corredor de ônibus não ajuda muito quem tem que madrugar para não perder a hora.

Os ônibus trafegam pelo corredor por uma velocidade de aproximadamente 15 km/h. A Prefeitura diz que tem projetos para melhorar o trânsito na região, como o monotrilho, uma via paralela e a ampliação do Metrô. Os projetos não têm data prevista para sair do papel.

A Estrada do M'Boi Mirim, que em dias normais tem velocidade média de apenas 15 km/h, travou nesta quinta-feira (28).

Um grupo de manifestantes bloqueou os dois sentidos da via. Carros, ônibus e milhares de trabalhadores ficaram parados. A polícia foi chamada e houve confronto.

Seis pessoas foram presas. O protesto foi organizado pelo movimento dos sem-teto, mas os moradores aderiram à manifestação porque sofrem com o problema há muito tempo.

“Eu gasto duas horas e meia para chegar no meu trabalho”, diz a cuidadora Francisca de Lima. “Tudo cheio, cheio. Não anda o trânsito”, diz a dona de casa Cleide do Sacramento.

Neste ano, outro protesto já tinha parado a M'Boi Mirim no começo de março. Depois, as faixas reversíveis foram ampliadas. Mesmo assim, a Prefeitura reconhece que demorará para resolver o problema.

“A solução definitiva para a Zona Sul é um transporte de maior capacidade, como o monotrilho e o Metrô. Hoje, o que podemos fazer são pequenas intervenções. Sabemos que não é uma solução definitiva. O corredor atua muito acima de sua capacidade”, diz o secretário de Transportes, Marcelo Cardinale Branco.

A Estrada do M'Boi Mirim é o principal gargalo do trânsito na Zona Sul: liga bairros populosos ao centro. Quase 300 mil pessoas dependem dessa via superlotada.

Maria dos Anjos utiliza três conduções para chegar até o trabalho, no bairro de Cerqueira César. O problema começa no Terminal Jardim Ângela. Só na M’Boi Mirim, ela fica um hora. Ao todo, são duas horas e meia da porta de casa até o trabalho.

Para ir e voltar, Maria dos Anjos passa cinco horas por dia no transporte público. São 25 horas por semana. Nos 22 anos em que faz o trajeto, ela ficou mais de três anos dentro do ônibus. “Mal a gente vê a nossa família. Então, essa é a nossa vida”, afirma.

Por causa do protesto, Maria dos Anjos demorou quatro horas para chegar ao trabalho nesta quinta-feira (28).

G1 - 28/04/2011

A convite de entidades da região, nosso sindicato estará no próximo dia 10 de maio fazendo uma exposição sobre transporte de pessoas sobre trilhos aos participantes das comunidades no entorno da Estrada M´Boi Mirim. Falaremos sobre trem metropolitano, metrô, monotrilho e VLT, com a finalidade de subsidiar os presentes com informações que possam alimentar o debate e viabilizar soluções. 

Governador de Mato Grosso (MT) em visita a Portugal para conhecer VLT

No primeiro dia de agenda oficial em Portugal, nesta sexta-feira (29.04), o governador de Mato Grosso, Silval Barbosa, reuniu-se com empresários e investidores internacionais, que manifestaram interesse em oferecer um novo projeto para implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) em Cuiabá até a Copa de 2014.

O governador destacou a necessidade de definição do modelo, para um posicionamento à população e para iniciar as obras. Após conhecer o esboço do projeto, neste sábado (30.04) Silval participará de apresentações sobre o impacto da adoção do sistema de transporte na vida da população local e visitará in loco o metrô de superfície instalado em Porto, sede das agendas da comitiva mato-grossense no país.

A segunda maior cidade de Portugal foi escolhida para a visita por ter se tornado referência na Europa, como case de sucesso na modernização do transporte público com a implantação do VLT. No Aeroporto Internacional Francisco Sá Carneiro, em Porto, o grupo brasileiro foi recebido pela vice-cônsul do Brasil, Rosely de Mathemeier. Ao seguir para a reunião com os portugueses, o governador destacou as potencialidades do Estado e as perspectivas de intenso desenvolvimento que já começam a se consolidar.

“Não foi por acaso que Mato Grosso foi escolhido para sediar jogos do Mundial. Nos tornamos cada vez mais fortes economicamente e solucionar o problema do transporte urbano é uma demanda que surgiu com o crescimento da Capital. Estamos analisando o melhor sistema para atender a população e o VLT é uma alternativa moderna. Com esta viagem mostramos nossa disposição em receber projetos e também em conhecermos com propriedade o modelo antes da escolha final”, disse o governador.

O presidente da Agência Estadual de Execução dos Projetos da Copa do Mundo do Pantanal (Agecopa), Eder Moraes, destacou que para a escolha do sistema e da forma de financiamento da obra, será fundamental que a tarifa seja acessível a todos os moradores de Cuiabá e Várzea Grande. “Escolheremos o modelo de financiamento mais baixo, com as menores taxas, porque isso reflete diretamente no valor da passagem e na vida da população. Entre as alternativas de financiamento a consolidação de PPPs (Parceria Público-Privada) se mostra interessante para este projeto”, pontuou Moraes.

A Parceria Público-Privada é apontada no momento como uma das principais soluções para a viabilização do sistema, caso este venha a ser escolhido pelo chefe do Executivo. Os moldes em que funcionaria a operação do VLT também são pauta da discussão pelos gestores públicos, empresários da construção civil e investidores.

“Os sistemas de transporte com grande capacidade e não poluentes são sistemas do futuro. As cidades mais modernas do mundo contam com esse modal de transporte. É um produto de qualidade, que faz o investimento compensar a funcionalidade e a mudança do cenário urbano. É um produto do século 21 e não do século passado. A infraestrutura do VLT é para durar cem anos e os vagões ao menos 40 anos”, disse um dos empresários presentes no evento.

O prazo até a realização da Copa do Mundo para instalação dos trilhos por 23 quilômetros em Cuiabá e Várzea Grande foi considerado o bastante por meio da alocação de várias frentes de trabalho. “Não vamos inventar a roda, ela já existe. Instalar um VLT há anos atrás era difícil e demorado, mas hoje já há um know-how nessa área”, complementou. O presidente da Agecopa frisou que os prazos são uma preocupação, mas que após aprovado o projeto e superadas as etapas legais, há garantias de que o modelo escolhido será implantado em 24 meses. “Estará em operação antes da Copa”, reafirmou.

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso-AL/MT, José Riva, afirmou que com o VLT seriam evitadas inúmeras, se não todas, as desapropriações dos espaços onde seriam necessárias instalações de corredores para os ônibus no modelo Bus Rapid Transport (BRT) e reafirmou a segurança legal de se investir em Mato Grosso. “O Executivo e o Legislativo caminham juntos no nosso Estado”, disse. Também participaram do encontro o primeiro secretário da Assembleia Legislativa, Sérgio Ricardo, o deputado estadual Guilherme Maluf, e o secretário-chefe da Casa Militar, Coronel Antônio Moraes.

A agenda da comitiva prossegue em Porto até domingo. Na segunda-feira o grupo partirá para Londres, na Inglaterra, onde participará de uma nova rodada de reuniões com a direção do Banco do Brasil de Investimentos Mundiais, com foco na discussão da renegociação da dívida de Mato Grosso. O retorno para Cuiabá está previsto para quarta-feira (04.05). 


Jornal Nortão online – 29/04/2011




O ferroanel defendido pelo sindicato já havia sido proposto em 1971

Nosso sindicato vem defendendo a construção de um Ferroanel metropolitano na Grande São Paulo, como obra de fundamental importância para resolver a questão do transporte de pessoas sobre trilhos. Pois bem: ele estava previsto em 1971. Veja imagem e leia o texto abaixo dela.

Eis que eu estava lendo o livro “Integração dos Transportes Rodoviários”, do engenheiro da primeira equipe do Metrô - Frederico Assis Pacheco Borba (livro de 1971) - e eu me deparo com um outro projeto de Anel Ferroviário, um pouco menor, mas talvez condizente com a cidade naquela época.
O autor descreve no item Estado Atual da Obra “O trecho entre Jurubatuba e Mauá - ligação da Sorocabana com a Santos-Jundiaí - será construído pelo Governo do Estado e administrado pela Estrada de Ferro Sorocabana, que está processando as desapropriações de terrenos, tendo empreitado as sondagens necessárias”. “Já foram expedidos decretos declarando de utilidade pública para fins de desapropriação terrenos necessários ao Anel Ferroviário (setor sul) nos municípios da Capital e de Diadema” (BORBA, 1971 pp.43). A impressão é que as obras já estavam sendo encaminhadas. O que sabemos hoje, 40 anos depois, não ocorreu.

BORBA, Frederico A. P. – Integração dos Transportes Rodoviários – Fator Básico de Desenvolvimento. Ministério dos Transportes, Rio de Janeiro. 1971

Desfazendo Nós – Marcos Kiyoto

Ocorreu parcialmente, sim. Falta completar nos municípios de São Bernardo do Campo, Diadema e Guarulhos, como temos afirmado. Bela contribuição, Marcos. Acreditamos, entretanto, que é condizente com a cidade ainda hoje.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

30 de Abril - Dia do Ferroviário


Desde seu surgimento em 1802, o trabalhador ferroviário enfrenta e supera desafios. Sua primeira vitória foi fazer de sua existência, uma das maiores conquistas técnicas da era industrial.

Em 1854, tiveram uma importante participação no crescimento econômico brasileiro e na integração da cidade de São Paulo com as demais cidades do estado que, com avanço do café, se viram obrigadas a investir na ferrovia. Esse momento foi crucial para que a riqueza e expansão do estado deslizassem sobre trilhos e com ele, os ferroviários e as estradas de ferros.

A partir de então, passaram a demonstrar também sua importância no quadro político.Um grande exemplo foi às paralisações ferroviárias em 1930 que ajudaram na criação do Ministério do Trabalho e de leis de proteção ao trabalhador, como também regulamentação de sindicatos por categorias profissionais.

Hoje, após ter passado por tantos desafios e vitórias que revolucionaram a história da sociedade brasileira, o ferroviário continua lutando para atender com eficiência e responsabilidade os mais de dois milhões de passageiros transportados por dia.

Nós do Sindicato da Sorocabana, temos orgulho em fazer parte dessa história.

Fica aqui, o nosso muito obrigado!

Parabéns Ferroviário!!!

VLT de Brasilia deverá operar antes da Copa de 2014

O veículo leve sobre trilhos (VLT) de Brasília tem como entrar em operação antes da Copa do Mundo de 2014 - desde que a sua construção seja liberada em no máximo três meses. O primeiro trecho, que ligará o Aeroporto Internacional de Brasília ao setor Norte da cidade, pode ser terminado 2 anos depois da liberação das obras. Seriam necessários mais 3 meses de testes para o início da operação comercial. Somando ambos os prazos, o VLT local estaria apto a circular no final de 2013, a tempo de atender aos turistas que virão a Brasília para a edição nacional da Copa do Mundo de Futebol.

Respeitado este cronograma, o custo da obra - R$ 1,55 bilhão - não teria de ser revisto, pois assim não seria preciso que os canteiros operassem de noite, quando a hora extra é 50% mais cara. Como o VLT é uma obra "linear", diversos trechos podem ser construídos ao mesmo tempo, o que reduz o tempo de execução do empreendimento, mesmo com o trabalho sendo feito só durante o dia. Deste R$ 1,55 bilhão previsto, R$ 1 bilhão será usado para custear o trecho entre o aeroporto e o início do setor Norte. O restante será investido nos trilhos até o fim da Asa Norte.

A obra do VLT candango começou em dezembro de 2009, mas só 2% do cronograma foram executados até o momento. A empreitada está suspensa por decisão da 7ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal. Não há previsão de prazo para sua retomada.

26/04/2011 - DCI

Nova tecnologia do metro de São Paulo com problemas

Desde março, os trens que circulam entre as estações Vila Prudente (zona leste) e Sacomã (zona sul) da linha 2-verde do metrô de São Paulo, inauguradas em 2010, andam mais devagar devido a uma falha no novo sistema de controle da circulação de composições que está sendo testado no ramal.

Com isso, o tempo de viagem gasto no percurso de 2,9 km - o equivalente a apenas 20% dos 14,7 km da linha - pode alcançar até oito minutos, quase um terço dos 30 que o trem costuma levar para chegar à Vila Madalena, última estação da linha na zona oeste.
A previsão é que a situação volte ao normal apenas no final de maio.

NOVO SISTEMA

A lentidão acontece porque o chamado CBTC (sigla em inglês para controle de trens baseado em comunicações) apresentou um defeito por volta das 6h do dia 24 do mês passado, levando o Metrô a reduzir o seu desempenho, por prevenção.

Técnicos da empresa ouvidos pela reportagem e que preferem se manter anônimos disseram que, naquele momento, o programa não identificou uma composição à frente de outra na saída do pátio de manobras Tamanduateí, no sentido Sacomã.

Segundo eles, o condutor do trem que vinha atrás teve de freá-lo manualmente para evitar um acidente.

SOBRECARGA

De acordo com um funcionário, desde o registro dessa falha os condutores estão sobrecarregados, já que precisam operar os trens no semiautomático.

Nesse modo de operação, diz o Metrô, são os próprios metroviários que têm de guiar as composições.

Como consequência, a velocidade média na linha 2 -28 km/h - está abaixo do normal, que é de 34 km/h. A passageira Carina Corrêa, 25 anos, diz que é obrigada a sair mais cedo de casa. "As plataformas ficam cheias."

AMPLIAÇÃO

O CBTC deve ser instalado no resto da linha 2-verde até o final do ano, segundo informou o Metrô. A previsão da empresa é levar o sistema para as linhas 1-azul e 3-vermelha a partir de 2012.

A principal vantagem do sistema, segundo a companhia, é que ele permite que as linhas operem com uma capacidade maior, diminuindo o intervalo entre os trens e contribuindo para diminuir a superlotação.

A contratação do sistema de sinalização, telecomunicação e sistemas auxiliares para as três linhas custou R$ 712 milhões, financiados pelo Banco Mundial.

Entre as vantagens do sistema, está o fato de que ele evita que o trem ultrapasse a velocidade permitida.

O novo sistema também permite a operação automática, capaz de realizar a movimentação do trem independente do operador.

Folha de São Paulo – 28/04/2011

R$ 712 milhões, e apresentando problemas desde março? Puxa!

Governador do Mato Grosso (MT) vai a Portugal avaliar VLT

O governador do Estado de Mato Grosso, Silval Barbosa, embarca na manhã desta quinta-feira (28.04) para Campinas (SP), onde dará início a uma maratona de reuniões internacionais com empresários dos ramos de tecnologia e de transportes urbanos. Da cidade paulista, o chefe do Executivo seguirá para Porto, em Portugal, onde vai cumprir intensa agenda de encontros e avaliar a funcionalidade do sistema de Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) até segunda-feira (02.05). Silval encerrará os compromissos em Londres, na Inglaterra, na próxima terça-feira (03.05).

O modal de transporte VLT é uma das principais alternativas de mobilidade urbana avaliadas pelo Governo do Estado para instalação em Cuiabá até a Copa do Mundo de 2014. Estudos sobre o sistema Bus Rapid Transport (BRT) também estão em andamento.

“São decisões que serão tomadas com base em estudos técnicos, que apontem o sistema que proporcionará a melhor solução para a cidade, levando sempre em conta o perfil e as necessidades da população cuiabana. Esse é o momento de se buscar o máximo de informações”, declarou o governador.

A cidade de Porto foi escolhida por possuir um dos mais novos VLT´s instalados recentemente na Europa. O presidente da Agência Executora de Projetos da Copa do Mundo (Agecopa), Eder Moraes, o presidente da Assembleia Legislativa, José Riva, e o deputado estadual Sérgio Ricardo (1º secretário da Mesa Diretora), integram a comitiva que acompanha o governador do Estado na viagem ao exterior.

Expresso MT - 28/04/2011

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Metrô Rio pede desculpas por agressão física contra usuário

O Metrô Rio pediu desculpas hoje pelo episódio ocorrido na terça-feira na estação Botafogo, na capital fluminense, quando um passageiro foi agredido por seguranças. A confusão ocorreu quando um homem tentava passar pela roleta usando o cartão de passagens Riocard de um colega de trabalho.

Os seguranças disseram que o passageiro havia passado sem pagar. Houve empurra-empurra e os funcionários usaram de força para controlar a situação.

Os agentes envolvidos no incidente foram afastados de suas funções até o término da apuração dos fatos. A concessionária acrescentou ainda que está pedindo desculpas publicamente a seus passageiros em todas as estações, através das televisões nas plataformas, e na estação Botafogo com o sistema de som.

Uol - 28/04/2011

Desculpa é sempre um gesto elegante e simpático, mas a coisa vai além do afastamento dos agentes. Muito fácil transferir responsabilidade de tamanho abuso para duas pessoas. Foi um abuso praticado pela empresa, uma vez que os agentes atuam em nome dela, e por delegação dela. 

Novas discussões sobre o TAV

São Paulo – Apesar de ter adiado duas vezes o leilão que decidirá as empresas que vão tocar o projeto de construção do trem-bala, o governo está convicto de que a obra é viável do ponto de vista técnico e econômico, com muitos benefícios para as regiões de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro.
Especialistas ouvidos por EXAME.com, no entanto, levantam inúmeras dúvidas que vão desde o custo da obra até as prioridades que o Brasil tem na área de transportes.
“O trem-bala é um grande equívoco por vários motivos, começando pelo custo astronômico. O BNDES vai financiar R$ 20 bilhões e entrará com mais R$ 5 bilhões a fundo perdido”, afirma Paulo Fernando Fleury, diretor-geral do instituto ILOS (Instituto de Logística e Supply Chain). A obra está orçada pelo governo federal em R$ 33 bilhões.
O professor da Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo da Unicamp e coordenador do Laboratório de Aprendizagem em Logística e Transportes (LALT), Orlando Fontes Lima Júnior, considera o trem-bala uma solução confortável, rápida e eficiente, mas questiona as prioridades. “É como você construir um hospital para tratamento de câncer numa periferia do interior. Ninguém vai dizer que não é importante, mas talvez 20 postos de saúde sejam mais úteis para aquela região.”
Os dois especialistas defendem que os investimentos em metrô sejam colocados no topo das prioridades. O professor da Unicamp destaca a necessidade de transporte de massa na região metropolitana de Campinas enquanto o diretor do instituto ILOS cita a superlotação do metrô paulistano. “Com esse volume de recursos daria para quintuplicar a rede em São Paulo, passando de 60 quilômetros para 300 quilômetros de linhas”, diz Fleury.
Lima considera que a principal dúvida envolvendo o projeto é a estimativa de demanda dos passageiros. “É difícil modelar qual será o grau de adesão quando a obra ficar pronta. Ao contrário da Europa, o Brasil não tem cultura de ferrovias, o que vai requerer um aprendizado da população. Quando o metrô foi inaugurado, as pessoas tinham medo de escada rolante. Hoje isso não faz sentido, mas na época foi um empecilho para a utilização do metrô.”

Exame.com – 27/04/2011

O sindicato entende que são discussões distintas: uma diz respeito ao emprego da verba prevista para a construção do TAV (que passará dos 50 bilhões), quando comparada a outras necessidades. Outra - e essa nos parece crucial - é o custo desse projeto, que afirmamos exagerado. O transporte aéreo e rodoviário no eixo Rio-São Paulo está saturado. Que se faz necessário um transporte ferroviário (que já existiu no passado) não se discute. A saber, agora, se a esse preço. Temos defendido o trem regional, de média velocidade, na certeza que atende, e de forma competitiva. 

Cariocas continuam sem uso de bilhete único na SuperVia

O Bilhete Único ainda não poderá ser usado neste mês na integração dos trens da SuperVia.

A prefeitura adiou o prazo para a primeira quinzena de maio, para que o programa de computador que fará a divisão entre a SuperVia e empresas de ônibus do dinheiro arrecadado seja concluído.

O valor do bilhete de integração dos trens será de R$ 3,70 e não sofrerá alteração quando o preço da passagem do ônibus aumentar.
Redação SRZD - 26/04/2011

Problema de circulação na linha 9 da CPTM

Uma falha técnica, ocorrida na madrugada desta quinta-feira, vem provocando atrasos na Linha 9 – Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

As composições vêm circulando com velocidade reduzida e maior tempo de parada entre as estações Osasco e Pinheiros, desde as 5h.

O motivo dos atrasos é uma falha no sistema de energia da linha entre as duas estações. Segundo a CPTM, os técnicos da manutenção trabalham para solucionar o problema. Os trens do Metrô funcionam normalmente.

E-band - 28 de abril de 2011

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Seguranças do metrô do Rio agridem passageiro

Seguranças do Metrô do Rio de Janeiro foram acusados de agredir um passageiro na estação de Botafogo, na noite de ontem. A confusão ocorreu quando o homem tentava passar pela roleta usando o cartão de passagens Riocard de um colega de trabalho. Os seguranças disseram que o passageiro havia passado sem pagar. Todo o tumulto foi filmado pelo repórter da Rede Globo, Rogério Coutinho, que estava na estação.
Nas imagens, o jardineiro Gabriel Gonçalves, de 35 anos, aparece sendo agarrado pelo colarinho por um dos seguranças. Ele é empurrado e levado para uma sala na estação do Metrô. Quando volta a ser enquadrado pela câmera, o jardineiro se contorce de dor e passa a mão nas costas. Passageiros saem em defesa de Gonçalves, inclusive dois colegas de trabalho. Um segurança, então, sai da sala e agride verbalmente os passageiros.
Os dois funcionários foram afastados pelo Metrô Rio. Em nota, a concessionária informou que lamenta o incidente e garante tratar-se de um fato isolado. "Todos os seguranças passam por um intenso treinamento de sete meses antes de serem liberados para o trabalho nas estações e um dos princípios básicos de conduta é o respeito aos passageiros e o repúdio a todo tipo de excesso no exercício das funções". 

O Estado de São Paulo – Clarissa Thomé - 27 de abril de 2011


Ah. A concessionária lamenta, é um fato isolado e os dois seguranças foram afastados. Que beleza... Viva a privatização, cujos desmandos se resolvem com uma mera desculpa.

O Trem do Forró de Recife (PE)

Quem quiser aproveitar o São João numa viagem marcada pelo mais autêntico ritmo nordestino deve se apressar. Até o próximo sábado (30) o Trem do Forró 2011 estará vendendo kits com desconto de 19%. A viagem, com saída entre os dias 4 e 11 de junho, será vendida por R$ 65. Já nos dias 18, 19, 25 e 26, o valor sobe para R$ 80.

O Trem do Forró parte do Recife com destino ao Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, está cheio de novidades. A principal delas é o local de embarque dos passageiros, que ocorria no terminal marítimo, no Marco Zero, e agora é no Bar Catamarã, ao lado do Forte das Cinco Pontas, no bairro de São José.

Já na saída, os forrozeiros vão contar com feirinha de artesanato, venda de comidas típicas, além de muito arrasta-pé. Quem preferir passear de catamarã pelo Rio Capibaribe vai receber um desconto no valor do ingresso. Ao desembarcar no Pátio de Eventos do Cabo de Santo Agostinho, os passageiros serão recepcionados por uma quadrilha junina e encaminhados a uma vila instalada no local, ao lado da estação ferroviária central da cidade.

Diário de Pernambuco - 27/04/2011

Frota da CPTM recebe três novos trens

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o secretário dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, entregaram nessa terça-feira (26/04) três novos trens para a frota da CPTM.

Os veículos, que fazem parte do total de 105 trens adquiridos pela CPTM, irão operar inicialmente na linha 12 – Safira, que liga a estação Brás à Calmon Viana, mas poderão circular em todas as linhas, conforme a necessidade.

Fabricados pela CAF, os trens, de oito carros cada, possuem câmeras de vigilância, ar-condicionado, sistema de informação audiovisual e itens de acessibilidade para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Com essas três composições a CPTM intera o total de 11 novos trens recebidos em 2011.

Revista Ferroviária - 26/04/2011

terça-feira, 26 de abril de 2011

Estação Pinheiros do metrô será inaugurada em 16 de maio

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou nesta terça-feira que a estação Pinheiros, da linha 4-amarela do Metrô de São Paulo, será inaugurada no próximo dia 16 (de maio), ainda sem o horário de funcionamento definido.

Na próxima segunda-feira as outras estações da linha 4 - Butantã, Faria Lima e Paulista - terão seu horário de funcionamento ampliado, passando a funcionar das 4h40 às 15h. Atualmente elas abrem às 8h.

Hoje foram entregues três novos trens para a linha 12 da CPTM, que vai do Brás a Calmon Viana. Segundo o governador, eles são mais motorizados e rápidos, o que fará com que o tempo de espera entre um trem e outro no horário de pixo reduza dos atuais seis minutos para cinco minutos.

A linha 4, a primeira em São Paulo operada pela iniciativa privada (pelo grupo Via Quatro), acumula atrasos. Ela, que consta dos planos do Metrô há quatro décadas, foi prometida nos anos 90.

O contrato das obras foi firmado só no último mandato de Alckmin, para ser concluída até 2008. Em seguida, sua primeira fase foi empurrada para 2009 e 2010.

Quando for entregue, terá 12,8 km e seis estações.

A segunda fase, prometida agora para até 2014, prevê mais cinco pontos de parada.

Folha.com - 26/04/2011 

Iniciado projeto de implantação do Aeromovel de Porto Alegre (RS)

Porto Alegre

A Trensurb iniciou a execução do projeto de implantação do Aeromovel que ligará a Estação Aeroporto ao Terminal Salgado Filho. O projeto já foi aprovado pelo PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) para o financiamento de R$ 17,85 milhões do governo federal.

A assinatura do contrato da via elevada, vencido pela Premold em dezembro de 2010, deve ocorrer nas próximas semanas. A proposta foi de R$ 7,2 milhões. A construção do elevado tem prazo de conclusão de oito meses a partir da ordem de início de serviço. Já o processo licitatório para a construção das estações – com um valor previsto de R$ 2,4 milhões – aguarda a conclusão da elaboração dos projetos e do edital, devendo ocorrer no início do mês de junho. O pacote tecnológico foi contratado junto à Aeromovel Brasil em agosto de 2010, no valor de R$ 17,3 milhões.

A T’Trans assinou, neste mês, contrato para o fornecimento de dois veículos  – um com capacidade para 150 passageiros, outro para 300 –, incluindo serviços de engenharia, suprimentos, montagem, instalações, fabricação e transporte. O prazo para conclusão dos trabalhos é de seis meses.

A empresa T’Trans - Sistema de Transporte S.A. - foi a vencedora da licitação referente à fabricação dos veículos – concluída em fevereiro de 2011 –, com uma proposta de R$ 2.819.234,19. O contrato foi assinado neste mês e a ordem de serviço foi dada dia 19. Está previsto o fornecimento de dois veículos – um com capacidade para 150 passageiros, outro para 300 –, incluindo serviços de engenharia, suprimentos, montagem, instalações, fabricação e transporte. O prazo para conclusão dos trabalhos é de seis meses.

A meta da Trensurb é que todo o sistema esteja concluído até o final do ano e que a operação experimental do Aeromovel comece em janeiro de 2012.

Revista Ferroviária - 26/04/2011

VLT de Brasília (DF) entra em operação antes da Copa

O veículo leve sobre trilhos (VLT) de Brasília tem como entrar em operação antes da Copa do Mundo de 2014 - desde que a sua construção seja liberada em no máximo três meses. O primeiro trecho, que ligará o Aeroporto Internacional de Brasília ao setor Norte da cidade, pode ser terminado 2 anos depois da liberação das obras. Seriam necessários mais 3 meses de testes para o início da operação comercial. Somando ambos os prazos, o VLT local estaria apto a circular no final de 2013, a tempo de atender aos turistas que virão a Brasília para a edição nacional da Copa do Mundo de Futebol.

Respeitado este cronograma, o custo da obra - R$ 1,55 bilhão - não teria de ser revisto, pois assim não seria preciso que os canteiros operassem de noite, quando a hora extra é 50% mais cara. Como o VLT é uma obra "linear", diversos trechos podem ser construídos ao mesmo tempo, o que reduz o tempo de execução do empreendimento, mesmo com o trabalho sendo feito só durante o dia. Deste R$ 1,55 bilhão previsto, R$ 1 bilhão será usado para custear o trecho entre o aeroporto e o início do setor Norte. O restante será investido nos trilhos até o fim da Asa Norte.

A obra do VLT candango começou em dezembro de 2009, mas só 2% do cronograma foram executados até o momento. A empreitada está suspensa por decisão da 7ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal. Não há previsão de prazo para sua retomada.

26/04/2011 - DCI

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Linha 12-Safira da CPTM com circulação afetada nesta segunda-feira

Uma falha em um equipamento de via da Linha 12-Safira da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) afetou a circulação de trens entre as estações Engenheiro Manoel Feio e Itaquaquecetuba na manhã desta segunda-feira (25).

O problema começou às 4h25. Por volta das 7h, os trens ainda circulam com maior intervalo no trecho entre as estações Itaquaquecetuba, Aracaré e Calmon Viana. Com isso, as estações ficaram mais cheias nesta manhã. Da Estação Engenheiro Manoel Feio até a Estação Brás, a circulação era normal, segundo a CPTM.

Os passageiros eram informados pelo sistema de som dos trens e das estações. Equipes de manutenção estavam no local da falha. Não há previsão para a solução do problema.


G1 - 25/04/2011

Trem da ALL descarrila em Triunfo (RS)

Oito vagões de um trem de carga da América Latina Logística, carregados com arroz, saíram dos trilhos no distrito de Porto Batista, em Triunfo. O acidente ocorreu por volta das 10h, mas os vagões seguem tombados próximo à avenida Bento Gonçalves, bloqueando a via. A Brigada Militar realiza desvios no trânsito na região. 
O trem tinha três maquinistas, mas nenhum deles se feriu. 
A ALL informou que já mandou uma equipe de 30 pessoas para o local para retirar os vagões danificados da pista no menor tempo possível. Segundo a empresa, a carga que virou é seca e não há risco de dano ambiental. 
Ainda não há informações sobre as causas do descarrilamento. A ALL anunciou vai abrir sindicância para apurar o que provocou o acidente.

RÁDIO GAÚCHA – 23/04/2011

domingo, 24 de abril de 2011

Mais um descarrilamento de trem da ALL em São Paulo

Um trem que saiu de Mato Grosso do Sul, carregado de soja, descarrilou em Catanduvas (SP), o quinto acidente desta natureza na região, em intervalo de quarenta dias. A composição com 76 vagões seguia para porto de Santos quando quatro vagões saíram dos trilhos e pararam a cinco metros do galpão de fábrica de laticínios.

Ninguém se feriu no acidente. O trânsito na rua Florianópolis ficou interditado por quatro horas. Parte do carregamento da soja se perdeu. A América Latina Logística abriu sindicância com prazo de 30 dias para apurar as causas do acidente. A concessionária não divulgou o valor do prejuízo e prazo para restabelecimento do trecho.

Outros acidentes - No dia 29 de março, dois vagões descarrilaram em Bauru (SP), e provocaram o vazamento de 2 mil litros de gasolina. Em 30 de março, uma composição com 53 vagões descarrilou perto de Botucatu, e houve vazamento de cerca de 200 litros de álcool, apesar do trabalho dos bombeiros para conter o vazamento.

Em 3 de abril, um vagão que transportava óleo diesel descarrilou nas proximidades de Bauru. Em 7 de abril, um trem descarrilou em Meridiano e atingiu uma estação ferroviária. Em 12 de abril, um trem descarrilou na cidade de Bálsamo, a 463 km de São Paulo.

Acritica - 23 de Abril de 2011

sábado, 23 de abril de 2011

USP começa a acordar para o TAV

A Escola Politécnica da USP (Universidade de São Paulo) vai desenvolver cursos de formação e aprimoramento da tecnologia de alta velocidade para engenheiros para fazer a transferência de tecnologia o TAV brasileiro.

Durante o Seminário TAV Brasil, realizado na última segunda-feira, 18, na Fiesp, o professor da Escola Politécnica da USP, Roberto Spinola Barbosa, explicou que a transferência de tecnologia do consórcio vencedor para os brasileiros terá três etapas.

A primeira consiste em aprender a técnica desenvolvida nos outros países, diretamente dos detentores da tecnologia. Absorvida a técnica, a Poli começará a capacitar engenheiros para as novas práticas, com cursos técnicos especializados em alta velocidade. Conhecida e absorvida pelos profissionais, a técnica estará pronta para o aprimoramento e adaptação para as necessidades brasileiras.

Spinola ainda listou os principais desafios que os consórcios enfrentarão aqui no Brasil para estabelecerem o trem de alta velocidade. Entre eles, material rodante especial para minimizar desgaste; sistema de variação de velocidade para troca de bitola; terrenos elevados, como a Serra das Ararás, que pode necessitar da construção de túneis.

Revista Ferroviária - 20/04/2011

Incrível. Não tivesse literalmente desmontado suas ferrovias e o Estado de São Paulo seria, possivelmente, um polo de conhecimento ferroviário. A famosa Universidade de São Paulo vai, agora, desenvolver cursos de formação e aprimoramento, sobre uma tecnologia que já está disponível pelo menos desde 1963.

A trágica situação das ferrovias na Argentina

Se você pensa que o desprezo pelas ferrovias é uma mazela exclusiva do Brasil, engana-se. O mesmo problema ocorre com a Argentina. Um editorial publicado esta semana pelo principal jornal do país, o Clarín, mostra que a situação está beirando o caos em termos de segurança e logística. E reforça a necessidade das autoridades abrirem os olhos e cuidarem melhor deste modal.

Na Argentina, segundo o editorial, a privatização da malha ferroviária não resultou na melhoria do sistema e os acidentes se tornam comuns. No município portenho de São Miguel, por exemplo, uma tragédia ocorrida em 16 de fevereiro tirou a vida de quatro pessoas e deixou outras 70 feridas.

O Clarín aponta que os problemas se arrastam pelas últimas administrações de Nestor Kirchner e sua esposa, Cristina, a atual presidente do país. Sindicalistas são acusados pela publicação de comandar as ferrovias e não dar o devido valor a elas, tratando-as como meros instrumentos de barganha política.

Aqui no Brasil, os acidentes envolvendo composições das empresas concessionárias da rede ferroviária também são rotineiros. O processo de privatização conduzido nos anos 90 – mesmo período que o da Argentina – foi criticado no ano passado pelo presidente Lula.

Porto Gente - 18/04/2011

Na Argentina a situação está muito pior do que o Brasil. Ainda por conta da tradição peronista, sindicatos de ferroviários, naquele país (embora não exclusivamente eles) têm uma forte presença junto aos governos. Já divulgamos dois acidentes com trens na Argentina (1 e 2) apenas neste ano.